NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS

22/01/2019

Balança comercial registra déficit de US$ 1,98 bilhão na terceira semana de janeiro

A balança comercial brasileira registrou déficit (importações maiores do que exportações) de US$ 1,985 bilhão na semana passada, revelou nesta segunda-feira (21) o Ministério da Economia.

Segundo o governo, esse foi o primeiro saldo semanal negativo na balança comercial desde a quarta semana de novembro (-US$ 1,161 bilhão).

Na última semana, as exportações somaram US$ 3,536 bilhões (38,3% abaixo da média até a segunda semana de janeiro) e, as importações, US$ 5,521 bilhões – com alta de 57,4% em igual período de comparação.

De acordo com o Ministério da Economia, houve queda, na terceira semana deste mês, nas vendas de:

produtos manufaturados (-50,3%, em razão, principalmente, de plataforma para extração de petróleo e aviões, entre outros)
básicos (-41,5%, por conta, entre outros, de petróleo em bruto, minério de ferro)
Por outro lado, cresceram em 10% as exportações de produtos semimanufaturados na semana passada, contra as duas primeiras semanas de janeiro.

Do lado das importações, avançaram as compras de adubos e fertilizantes, aeronaves e peças, combustíveis e lubrificantes, equipamentos mecânicos, filamentos e fibras sintéticas e artificiais.

Parcial de 2019

Apesar do resultado negativo na terceira semana de janeiro, o saldo acumulado do ano de 2019 ainda segue no azul, ou seja, com mais exportações do que compras do exterior.

Nesse período, de acordo com dados oficiais, foi registrado um saldo positivo de US$ 1,574 bilhão, com vendas externas em US$ 12,708 bilhões e importações em US$ 11,134 bilhões.

Estimativas para este ano
A expectativa do mercado financeiro para este ano é de piora do saldo comercial na comparação com 2018, quando foi registrado um superávit de US$ 58,3 bilhões.

Segundo pesquisa realizada pelo Banco Central com mais de 100 instituições financeiras na semana passada, a estimativa para 2019 é de um saldo positivo de US$ 52 bilhões nas transações comerciais do país com o exterior.

O Banco Central, por sua vez, prevê um superávit da balança comercial de US$ 38 bilhões para este ano, com exportações em US$ 250 bilhões e importações no valor de US$ 212 bilhões.

Bolsonaro na Suíça

Também nesta segunda, ao chegar à cidade suíça de Davos, onde vai participar do Fórum Econômico Mundial, o presidente Jair Bolsonaro disse que pretende impulsionar o comércio do Brasil com outros países sem “viés ideológico”.

Bolsonaro afirmou que vai mostrar que o Brasil é seguro para investimentos e destacou o papel do agronegócio nas exportações.

“Queremos mostrar, via nossos ministros, que o Brasil está tomando medidas para que o mundo restabeleça a confiança em nós, que os negócios voltem a florescer entre o Brasil e o mundo, sem o viés ideológico, que nós podemos ser um país seguro para investimentos. E em especial a questão do agronegócio, que é muito importante para nós, é a nossa commodity mais cara. Queremos ampliar esse tipo de comércio. E para isso, estamos aqui para mostrar que o Brasil mudou”, declarou.

G1.

MAIS

NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS