NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS

09/04/2019

Cadastro positivo facilitará crédito e fomentará a economia, dizem entidades

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) sancionou nesta segunda-feira (8) a nova Lei do Cadastro Positivo, tornando automática a adesão de consumidores e empresas ao banco de dados existente desde 2011, mas com participação voluntária dos clientes. Entidades de Mato Grosso do Sul apontam que a lei deve fomentar a economia e facilitará o acesso ao crédito.

O serviço do Cadastro Positivo é prestado por empresas especializadas, que avaliam o risco de crédito de empresas e pessoas físicas com base nos históricos financeiros e comercial.

“As pessoas com histórico positivo poderão ter acesso mais fácil ao crédito, fomentando a economia. Além da taxa Selic, as taxas de juros levam em conta o risco da operação de empréstimo. Temos observado em março um consumidor mais consciente, com menor endividamento, menos contas em atraso e inadimplência, logo uma oportunidade para esse consumidor de construir um histórico positivo de ‘bom pagador’”, avalia o presidente da Fecomércio-MS (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), Edison Araújo.

O acesso ao crédito é um dos fatores que interfere na intenção de consumo, avalia a economista Daniela Dias. “Diante da facilidade maior de crédito é importante que o consumo continue consciente para que o consumidor mantenha seu score”, diz.

Com o Cadastro Positivo, pessoas físicas e jurídicas terão um score de crédito, ou seja, uma nota determinada a partir da análise de estatística dos hábitos de pagamentos, de relacionamento com o mercado e dos dados cadastrais. As novas regras irão permitir que micro e pequenos empresários tenham acesso as informações já utilizadas por instituições financeiras de grande porte.

“O que hoje é o ‘cadastro negativo’, quando alguém compra e não consegue pagar será transformado no positivo. As empresas irão mandar todas as compras do consumidor que paga pontualmente e isto irá beneficiar os clientes que honram e cumprem seus compromissos”, avalia a presidente da FCDL-MS (Federação das Câmaras de Dirigentes), Inês Santiago.

O presidente da ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande), João Carlos Polidoro, ressalta que a medida será benéfica para o consumidor e os empresários. “A aprovação da lei, na prática significa que as informações positivas serão disponibilizadas em nossas soluções para ajudar nossos associados a tomar as melhores decisões na hora de negociar com os consumidores, tornando a concessão mais ampla e muito mais rentável. Os dados positivos podem dobrar a aprovação de crédito e assim aumentar as vendas das empresas, além de reduzir o risco de inadimplência, devido a melhor discriminação entre o bom e mau pagador”, diz ele.

“O Cadastro Positivo contribuirá para a democratização do crédito em concessões mais justas, permitirá o empoderamento da população não bancarizada, estimulará a redução da inadimplência e, consecutivamente, dos juros praticados no mercado, e ainda ajudará na expansão do crédito, tanto para consumidores que possuem ou tiveram algum débito ativo, quanto para os que não têm histórico de crédito, e que hoje não tem a chance de ter crédito aprovado. Diferente do histórico de dívidas vencidas e não pagas, o Cadastro Positivo permite uma avaliação de crédito mais precisa para todos os consumidores, inclusive para aqueles que possuem débitos ou não possuem histórico de crédito em instituições financeiras, permitindo que sejam avaliados por sua capacidade de pagamento”, completa o presidente da Associação Comercial.

Campo Grande News

MAIS

NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS