NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS

19/02/2021

Estado deve subir de posição no ranking do Tesouro Nacional

Boa política fiscal melhora avaliação de MS, segundo o secretário Felipe Mattos

 

Após anos na classificação C, da capacidade de pagamento (Capag) ao Tesouro Nacional, a terceira pior do país, o Governo Estadual de Mato Grosso do Sul deve subir para B na próxima avaliação da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), conforme antecipado pelo secretário estadual de Fazenda, Felipe Mattos ao JD1 Notícias.

O Estado está por enquanto na letra C, como a maioria dos estados brasileiros. “Só existem dois Estados letra A, e os demais são B, C e D, mas agora Mato Grosso do Sul vai passar pra letra B. A SPN só vai fazer essa avaliação com o resultado por volta de maio e junho, mas os dados do balanço já foram fechados”, comentou Felipe.

A avaliação da Secretaria do Tesouro Nacional é feita depois que a Secretaria de Fazenda publicar o balanço, que leva em consideração três critérios objetivos, Índice de liquidez, Poupança Corrente e Nível de Endividamento do Estado.

O que ajudou a melhorar os índices, foram três questões principais, como apontado pelo secretário de Fazenda. “Melhoria na arrecadação no valor da receita do Estado, o corte nas despesas que foram muitas, como na estrutura administrativa até em folha de pagamento. Além disso o nível de endividamento de MS caiu, o Estado não vem somando empréstimos e sim pagando as dívidas de empréstimos anteriores”, esclareceu.

Ainda segundo o secretário, apesar do resultado só sair no meio do ano, a secretaria já tem os dados consolidados, e com o aumento de classificação o Estado será capaz de buscar recursos com aval do Tesouro Nacional. “A união só é avalista do Estado, para empréstimos, por banco ou de organismos internacionais para investimentos quando  Estado for Capag A ou B, se ele for C a união não é avalista”.

Com a classificação nível B, Mato Grosso do Sul poderá viabilizar empréstimos com aval da União para obras rodoviárias e de infraestrutura, almejadas pelo governador Reinaldo Azambuja.

Fonte: JD1

MAIS

NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS