NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS

15/05/2020

Mesmo com menor número de casos no Brasil, MS segue em alerta para coronavírus

Campo Grande (MS) – Mato Grosso do Sul é o estado com menor número de casos de Covid-19 no Brasil. A doença causada pelo novo coronavírus foi diagnosticada em 452 pessoas desde o início da pandemia.

“Também somos o Estado com menos óbitos e com a menor taxa de ocupação de leitos clínicos e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do País”, destacou o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, nesta quinta-feira (14/5) em live nas redes sociais do Governo do Estado.

O vídeo completo com informações sobre a situação do coronavírus em Mato Grosso do Sul pode ser conferido no Facebook do Governo do Estado: facebook.com/GovernodeMatoGrossodoSul.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil contabilizou na noite de ontem (13/5) 188.974 casos confirmados da doença e 13.149 mortes. A pior situação é observada em São Paulo, que possui 51.097 confirmações e 4.118 óbitos por Covid-19. Na outra ponta, MS possui 452 casos positivos para coronavírus e 14 mortes.

“Desde o primeiro momento, o Governo do Estado tomou medidas visando o menor registro de casos. Fomos um dos primeiros do País a criar o COE (Centro de Operações de Emergência referente ao coronavírus) e editamos várias resoluções e decretos, como suspensão das aulas presenciais e a instalação de barreiras sanitárias”, resumiu Resende.

“Construímos com muita dedicação e muito esforço uma lógica de atendimento à nossa gente”, completou ele. Mesmo com números baixos em relação aos outros estados, Mato Grosso do Sul segue em alerta, explicou o secretário estadual de saúde. Ações de combate à doença continuarão sendo tomadas conforme os avanços dos números.

Live

Diante da pandemia do novo coronavírus e da frequente necessidade de utilizar a informação como ferramenta de saúde, o Governo do Estado adotou o formato de entrevistas coletivas online transmitidas pelas redes sociais para informar jornalistas e sociedade sobre a situação da doença no Estado, evitando assim a propagação de fake news.

 

Bruno Chaves, Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

MAIS

NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS