NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS

07/03/2016

Pedidos de recuperações judiciais batem recorde no 1º bimestre

O número de recuperações judiciais pedidas no primeiro bimestre de 2016 foi 116,4% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, segundo Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações.

Foram 251 ocorrências contra 116 apuradas entre janeiro e fevereiro de 2015. O resultado é o maior para o acumulado do primeiro bimestre desde 2006, após a entrada em vigor da Nova Lei de Falências (junho/2005).

Recuperação judicial requerida é quando a empresa entra com o pedido de recuperação em juízo, acompanhado da documentação prevista em lei, e espera pela análise do juiz.

Entenda o que é recuperação judicial

As micro e pequenas empresas (MPEs) lideraram os requerimentos de recuperação judicial de janeiro a fevereiro de 2016, com 150 pedidos, seguidas pelas médias (58) e pelas grandes empresas (43).

Na análise mês a mês, houve aumento de requerimentos de recuperação judicial em fevereiro em relação a janeiro – alta de 61,5% (155 em fevereiro contra 96 em janeiro). Já na comparação entre fevereiro deste ano e fevereiro de 2015, a alta foi de 269% (42 em 2015 e 155 neste ano).

Em fevereiro, as MPEs também ficaram na frente com 99 requerimentos, seguidas pelas médias empresas, com 35, e as grandes com 21.

Segundo economistas da Serasa Experian, “o prolongamento e a ampliação do atual quadro recessivo da economia brasileira aliada à elevação dos custos operacionais e financeiros têm levado a recordes mensais consecutivos dos requerimentos de recuperações judiciais”.

Falências

Nos dois primeiros meses do ano foram realizados 233 pedidos de falências no país, aumento de 15,3% em relação a mesmo período de 2015, quando foram registrados 202.

Do total de requerimentos de falência, 123 foram de micro e pequenas empresas ante 110 em igual período de 2015; e 57 foram de médias empresas (em igual período do ano passado, 45); e 53 pedidos de grandes empresas (em 2015, 45).

Em fevereiro, foram requeridas 132 falências, aumento de 30,7% em relação ao mês anterior, quando ocorreram 102 solicitações. Já em relação a fevereiro de 2015 (com 89 falências requeridas), a alta foi de 48,3%.

As micro e pequenas empresas foram responsáveis pelo maior número de pedidos de falência em fevereiro: 67. Em seguida, as médias, com 32, e grandes, com 33.

Fonte: G1

MAIS

NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS