NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS

04/12/2018

Queda no preço do combustível demora e afeta pouco o bolso

As quedas nos preços dos combustíveis, além de demorar para chegar ao bolso do consumidor sul-mato-grossense, ainda podem ser menores do que a metade do porcentual que é reduzido nas distribuidoras. Levantamento de preços da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aponta que o preço médio da gasolina em Mato Grosso do Sul ficou 3,83% mais barato ao consumidor final nas últimas 10 semanas, saindo de R$ 4,433 para R$ 4,263.

Para o bolso do motorista do Estado, isso representa uma diferença de R$ 0,17 por litro desde a penúltima semana de setembro até a semana passada, período do comparativo de dados da ANP. Já o preço médio do combustível apurado pela agência nas distribuidoras do Estado mostra recuo ainda mais acentuado no mesmo intervalo: a gasolina, que era comercializada a R$ 4,11, passou para R$ 3,759, redução de 8,54%, ou R$ 0,35 por litro. (veja gráfico comparativo)

A mesma diferença de descontos também ocorre para o diesel no Estado. Subvencionado desde maio deste ano, o combustível apresentou recuo de preços de setembro até o fechamento de novembro, porém, para o consumidor esse índice foi de -1,42%, e para a distribuidora, de -3,23%. Na última semana, motoristas sul-mato-grossenses vinham pagando, em média, R$ 3,672 no litro do diesel, R$ 0,05 a menos que o praticado na semana de 23 a 29 de setembro (R$ 3,725). Já os preços das distribuidoras saíram de R$ 3,347 para R$ 3,239 no mesmo período.

A exceção à regra no levantamento foi o etanol, que apresentou trajetória contrária. O litro do biocombustível ficou 2,19% mais caro para o consumidor, enquanto para a distribuidora a majoração foi de 1,27%. Conforme os valores apurados pela ANP, o preço médio do derivado de cana aumentou de R$ 3,29 para R$ 3,36 ao consumidor. No caso da distribuidora, o valor saiu de R$ 2,921 para R$ 2,958.

EXPLICAÇÕES

No dia 27 de novembro, a ANP solicitou esclarecimentos às principais empresas distribuidoras sobre os preços dos combustíveis, fixando prazo máximo de 15 dias para o encaminhamento das respostas. Em nota, a agência informou que o pedido atende à atribuição legal da própria ANP, de zelar pela proteção do consumidor quanto a preços, qualidade e oferta de produtos.

Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes de Mato Grosso do Sul (Sinpetro/MS), “a redução [dos preços nas bombas] acontece na proporção que os postos estão comprando [novo estoque de combustível]”. A entidade explica que o desconto pode demorar a chegar nos postos em razão dos estoques já comprados mediante os preços antigos das distribuidoras, antes das retrações.

Ainda conforme a nota, a ANP divulgou que “tem adotado várias medidas para dar maior transparência à formação de preços e solicitado informações dos agentes periodicamente. Dessa forma, foi observada a redução significativa de preços da gasolina pela Petrobras, sem que essa decisão tenha chegado ao consumidor final”.

Segundo cálculos da agência, a partir de valores divulgados pela Petrobras (gasolina A) e Cepea/Esalq (etanol), o valor da gasolina C, que estava, na média nacional, em R$ 2,1381, no dia 18 de setembro, tinha se reduzido para R$ 1,6761 em 17 de novembro (diferença de R$ 0,46). No entanto, apenas R$ 0,04 tinham sido repassados ao consumidor final, de acordo com o levantamento de preços da ANP do período de 11 a 17 de novembro.

Na Capital, a gasolina custa em média R$ 4,19

Preço médio da gasolina teve queda pela quarta semana consecutiva em Campo Grande e fechou em R$ 4,192 na semana encerrada no dia 1º, de acordo com levantamento de preços da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíves (ANP). No entanto, em alguns postos a gasolina em promoção é encontrada até por R$ 3,99.

No comparativo com a semana anterior, quando a média estava em R$ 4,210 na Capital sul-mato-grossense, o litro do combustível recuou 0,43%; já nas últimas quatro semanas, a redução de preços chega a 2,15%. Entre os dias 4 e 10 de novembro, a gasolina custava, em média, R$ 4,284 na cidade.

O diesel seguiu trajetória de queda de preços semelhante e passou de R$ 3,691 para R$ 3,646, redução de 1,22%. Porém, no comparativo com a semana anterior (quando custava R$ 3,618), o combustível ficou 0,77% mais caro nos postos campo-grandenses.

Para o etanol, a ANP apurou preço médio de R$ 3,281 em Campo Grande, diante de R$ 3,286 da semana anterior, com os patamares praticamente ficando sem alteração. Já quando considerado o intervalo de quatro semanas, o litro do combustível registrou queda de 0,33%. Na semana de 4 a 10 de novembro, o valor do biocombustível estava em R$ 3,291.

Correio do Estado.

MAIS

NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS