NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS

18/10/2013

Juros do cheque especial sobem pelo quinto mês seguido

Os juros do cheque especial, uma das modalidades de crédito ao consumidor mais caras, voltaram a subir em outubro, de acordo com pesquisa da Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania. Foi a quinta alta seguida no ano.

A taxa média cobrada pelos sete bancos pesquisados –Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander– foi de 8,18% ao mês, ante 8,03% ao mês registrados em setembro.

De acordo com o Procon-SP, quatro bancos foram responsáveis por essa elevação: BB, HSBC, Itaú e Santander.

O maior aumento foi registrado pelo Santander, cujas taxas de juros saíram de 10,09% ao mês em setembro para 10,59% ao mês em outubro.

No Itaú, os juros no cheque especial passaram de 8,75% ao mês em setembro para 9,13% ao mês em outubro, enquanto no HSBC as taxas subiram de 9,82% ao mês para 9,90% ao mês.

Já o BB elevou as taxas de 6,02% ao mês para 6,07% ao mês.

Por outro lado, no empréstimo pessoal as taxas médias se mantiveram inalteradas em 5,27% ao mês.

COMPARE AS TAXAS

Bancos Empréstimo Pessoal (ao mês) Cheque Especial (ao mês)
Banco do Brasil 4,46% 6,07%
Bradesco 6,27% 8,90%
Caixa Econômica Federal 3,51% 4,41%
HSBC 5,77% 9,90%
Itaú 6,02% 9,13%
Safra 4,90% 8,25%
Santander 5,99% 10,59%

FONTE: Procon-SP

OUTRO LADO – Dos quatro bancos procurados, apenas o Banco do Brasil e Santander se manifestaram sobre as taxas cobradas no cheque especial.

Segundo o BB, “o ajuste realizado na taxa de juros do cheque especial para pessoas físicas reflete o aumento do custo de captação, mantendo o propósito do BB de avaliar permanentemente os fundamentos do mercado para estabelecer sua política de preços de seus produtos”.

Já o Santander diz que o cheque especial é uma linha que deve ser usada em situações emergenciais e em períodos limitados de tempo.

“Sendo assim, o Santander Master oferece até dez dias de uso sem a cobrança de juros. No caso de o cliente utilizá-lo por um prazo maior, ainda é possível parcelar o saldo devedor pela metade da taxa de juros do rotativo”, informa o banco.

MAIS

NOTÍCIAS

SINDIFISCAL/MS